PROTEÍNA VEGETAL

“Então, e a proteína?”, perguntou, com espanto, a jovem.
Uma jovem do séc. XXI, licenciada, bem formada e educada, (ainda) acha que a proteína só está presente na carne. Foi esta a constatação da conversa de balneário depois do treino no Set Point Studio.
Este parece ser o equívoco mais comum: precisamos consumir carne para obter proteína suficiente. Não, não precisamos!

Pode haver muita proteína na carne, é certo, mas isso não significa que não existe proteína em mais nenhum outro alimento. Ou seja, o que importa informar, até para que aumente as suas opções e diversifique a alimentação, é sobre “ALIMENTOS RICOS EM PROTEÍNA”.
Na verdade, é muito simples. O princípio é bastante básico: vá direto à fonte! Faça o que o “animal” faz! Simples e eficazmente faça o que as vacas, os porcos, as ovelhas e as galinhas fazem: vá direto à fonte. Dessa forma não só diminui o desperdício ao longo da cadeia alimentar e dos processos como tem mais variedade! Os legumes verdes (particularmente a couve, os brócolos, algas e ervilhas), feijões e legumes (lentilhas, lima, feijão verde, frade e preto), grãos (arroz integral, macarrão, quinoa, bulgur) e frutos gordos (avelã, amendoim, castanha de caju, amêndoas, pistache e nozes) são excelentes fontes de proteína. Outros grandes alimentos ricos em proteína são: seitan (30g de proteína por porção), tempeh, manteigas de amêndoa e de caju. Mas há proteína em quase todos os alimentos do dia-a-dia, incluindo nas massas, batatas e vegetais. Para além do mais, estes produtos saciam, são acessíveis, versáteis e práticos de confeccionar e / ou transportar (como é o caso nos frutos para um snack ou pré / pós treino).

Mas sabe porque precisa de proteína? Ela é necessária para enzimas saudáveis, hormonas e anticorpos e para construir e reparar músculos. Ora, mas que quantidade de proteína necessita o seu corpo? Isso depende de género, idade e níveis de actividade. Um nutricionista pode elucidá-lo ou pode sempre usar as calculadoras on-line que lhe darão uma imagem do seu perfil. Por exemplo, uma mulher de 30 anos, não grávida, que esteja ativa (entenda-se, pratica de 30 minutos a uma hora por dia de caminhada ou corrida), necessita de 47 gramas de proteína por dia. Para um homem ativo de idade similar, o requisito é de 56 gramas. Se ela comer manteiga de amendoim na torrada ao pequeno-almoço, uma porção de húmus e faláfel e um quiche (feita com soja) ao jantar, ela excederia a ingestão de proteína necessária. Se considerarmos que a maioria de nós adicionaria ao café bebida vegetal, comeria pão com a sopa de vegetais (4g de proteína na porção de brócolos e 5g na de ervilhas), tomaria um batido depois do treino, uma barra de cereais, um punhado de nozes, …, imagine em quanto já ultrapassou a dose necessária de proteína – e lembre-se de que o que o seu corpo não gasta armazena em forma de? De GORDURA!!!

https://lojavegetariana.pt?raf=ref0903164

Se é um “body builder”, pode escolher um dos muitos produtos de proteína vegana no mercado e incorporá-lo através de batidos de proteína.

Deixo um “exemplo-tipo” de quantidades de proteína diárias nas refeições à base de alimentos da terra:

Pequeno-almoço

2 fatias de pão tostado com manteiga de amendoim: 15g

Cereal típico com iogurte de soja e um punhado de nozes: 13 g

Maçã com uma porção de amêndoas ou sementes: 12 g

Almoço

2 wraps de salada de 3 feijões: 18g

2 torradas com feijão: 17g

Wrap de Húmus e 3 Faláfel: 15g

Jantar

Tofu e salada de legumes com arroz integral: 32g

2 salsichas vegetarianas, batata e ervilha: 26g

Quiche de vegetais e soja: 20g

2 comentários em “PROTEÍNA VEGETAL”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *